Santos desencanta e o Galo decepciona

Antero Greco

12 de junho de 2013 | 22h39

O Santos desencantou no Brasileiro e obteve a primeira vitória, no1 a0 sobre o Atlético, na noite desta quarta-feira. Com esse resultado, saiu da zona de rebaixamento, mas continua com aproveitamento fraco na competição. Em todo caso, serviu para fazer com que entre mais tranquilo no período de recesso da Copa das Confederações.

Só não se pode dizer que já está em ação a Geração 4 dos Meninos da Vila. O técnico Claudinei Oliveira apostou em vários jogadores com os quais trabalha na base, viu sinais de reação, tem gente com potencial para continuar no time de cima, mas é bom ter cautela. Nessa safra não há Neymar nem Ganso, embora Neilton mostre que tem futuro.

O Santos mesclou experiência de Durval, Leo, Arouca, Marcos Assunção, Cícero com a juventude de Leandrinho, Pedro Castro, Leo Citadini, além de William José. Se deu bem com a escolha, porque desde o começo foi melhor do que o Atlético. A ponto de alcançar a vantagem decisiva ainda no primeiro tempo, com gol de Cícero.

O Galo teve algumas baixas, como as de Réver, Bernard e Jô, todos na seleção brasileira, mas contou com titulares importantes como Vitor, Pierre, Ronaldinho Gaúcho. E decepcionou, mais uma vez. Criou pouco na etapa inicial, deu uma sacudida leve na segunda, porém no total não mereceu sorte melhor. Por isso, se manteve na parte de baixo da classificação.

Há a atenuante de que a prioridade é a Libertadores – com jogo marcado para o dia 7 de julho contra o Newell’s Old Boys, na Argentina. Só que, pelo momento que atravessa, sempre se espera mais da equipe de Cuca. Bom não perder muito espaço agora, para não ter dificuldade adiante, depois que passar a competição internacional.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.