Santos e Corinthians deixam tudo pra Vila

Santos e Corinthians deixam tudo pra Vila

Antero Greco

08 de maio de 2011 | 19h12

Difícil ver final em duas partes ser decidida logo de cara. Não será diferente no tira-teima entre Santos e Corinthians. Os alvinegros fizeram, na tarde deste domingo, um jogo tão morno quanto a temperatura na cidade. O 0 a 0 não equivale à nota do clássico (daria 6), mas reflete o equilíbrio entre ambos. Ficou evidente que preferiram empurrar a dose decisiva de emoção para o duelo de domingo que vem na Vila Belmiro.

O Corinthians soube segurar o Santos, sem ser retrancado. Ralf, Wallace e Paulinho deram conta de emperrar a vida de Elano, Neymar e Ganso. Com isso, foram poucos os lances de perigo criados pela turma de Muricy Ramalho. Ainda assim, Ganso assustou num chute de meia distância e Neymar mandou uma bola na trave, em jogada individual. Os corintianos responderam com Bruno César e Paulinho.

O Santos melhorou no segundo tempo, quando já estava sem Ganso. O meia sentiu dores na coxa, e já não estava bem, independentemente da boa marcação. Alan Patrick entrou no lugar dele e, se não foi nada excepcional, compensou com ajuda ao meio-campo. Os santistas melhoraram quando Neymar despertou, se livrou da marcação e, em dois minutos, fez três belas jogadas, numa delas acertando o travessão. Depois, ele também voltou ao normal.

A reação do Santos fez Tite mexer no time. Uma mudança era manjada – William no lugar de Dentinho (que, aliás, de novo não jogou bem). A outra soou estranha: Moraes por Bruno César, que era dos poucos que arriscavam chutes e tratavam de construir jogadas. Estaria Tite mais preocupado em fechar o time do que mantê-lo perigoso em contra-ataques? Essa não entendi.

Depois dos 35 minutos, ficou evidente que ninguém mais estava a fim de arriscar-se. Ambos tiraram o pé do acelerador e foram jogando ao sabor do acaso. Num lance esporádico, Liedson (sumido no jogo) acertou a trave. Todo mundo preferiu adiar para domingo que vem. O Santos aposta no fato de jogar em casa. O Corinthians torce para o rival desgastar-se com mais uma viagem (agora para a Colômbia).

Que bicho vai dar agora não sei, embora ainda veja o Santos mais incisivo (sobretudo se contar com Arouca, Leo e Ganso). Sei é que não será jogo morno como o deste domingo. Nem pode.

Tudo o que sabemos sobre:

CorinthiansGansoLiedsonNeymarSantos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.