São Paulo aos poucos se arruma

Antero Greco

19 de fevereiro de 2011 | 21h51

Paulo Cesar Carpeggiani tem fama de professor Pardal e mexe no time mais do que menino curioso. Mas parece que agora encontrou fórmula e formação ideais. Testou a estratégia nos últimos três jogos, ganhou todos e viu seu time marcar 10 gols e levar só 2. Depois de bater Lusa (3 a 2) e Treze (3 a 0), a vitória mais consistente veio na noite deste sábado, com 4 a 0 sobre o Bragantino, no Morumbi, fora pênalti desperdiçado por Rogério Ceni.

O técnico não inventou nada, apenas ajeitou jogadores que têm dado conta do recado. Rhodolfo, Miranda e Alex Silva se distribuem bem pela zaga e fazem cobertura eficiente de Jean, na ala direita, e Juan, na esquerda. Casemiro e Carlinhos Paraíba combatem com qualidade no meio-campo. Dagoberto tem sido generoso e participativo, depois de bronca que levou do técnico duas semanas atrás, e mostra entrosamento crescente com Fernandinho no ataque. Lucas caminha para ser o nome da equipe.

Dessa forma, o Bragantino não viu a cor da bola, na abertura da 9.ª rodada do Campeonato Paulista. O São Paulo jogou como quis e fez 1 a 0 aos 19 minutos, em cobrança de falta de Dagoberto que desviou no ombro de Miranda. Três minutos depois, Rogério Ceni cobrou pênalti que Defendi pegou. O segundo gol veio aos 43, numa esplêndida tabelinha entre Dagoberto e Fernandinho, que completou.

A farra continuou na etapa final com gols de Lucas aos 19 e Willian José, aos 31, poucos minutos depois de entrar no lugar de Fernandinho. O trio tricolor da seleção Sub-20 – Casemiro, Lucas e Willian José – ganha espaço, dá novo fôlego ao time e faz a torcida ficar menos cética. Tudo bem que se tratou até agora só de primeira fase – no Estadual e na Copa do Brasil. Mas o São Paulo enfim começa a ganhar cara de time mais equilibrado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.