São Paulo oscila de novo ao ceder pontos para o lanterna

Antero Greco

19 de agosto de 2011 | 01h14

O São Paulo é um mistério. No momento em que dá a impressão de que vai deslanchar, emperra, se enrosca em adversários em situação bem inferior na tabela e não sai do lugar. No final de semana, suou para ficar no 2 a 2 com o Atlético-PR – e com isso deixou escapar chance de encostar nos líderes. Nesta quinta-feira, voltou a pisar na bola e não passou de empate por 1 a 1 com o lanterna América-MG. Marca passo e está a quatro pontos do Corinthians.

O mais chato foi o ritmo do São Paulo em Ipatinga: muito cadenciado pra quem está na corrida pela liderança. Acelerou apenas em alguns momentos e custou a se dar conta de que caiu na estratégia do América, que era justamente a de amarrar a partida. Por isso, foram poucas as oportunidades de gol – uma delas com Rivaldo mandando uma bola na trave no começo. Bom toque de bola e domínio, mas estéril, improdutivo, sem graça.

Adilson Batista pôde enfim escalar uma dupla de zaga (Rhodolfo e Xandão) e a defesa não levou sustos – a não ser o golaço de bicicleta de Kempes quase em cima da hora. O meio-campo funcionou aquém do esperado e o ataque só melhorou com Fernandinho no lugar de Dagoberto e quando Marlos substituiu Rivaldo. Marlos ainda deixou o São Paulo em vantagem, com o gol marcado aos 40 minutos do segundo tempo.

Decepção foi Lucas. A jovem estrela esteve apagada e, para complicar, levou terceiro cartão amarelo. Dessa forma, desfalca o time no clássico com o Palmeiras. O São Paulo volta para casa com a impressão de que deve futebol. A irregularidade nas últimas semanas impediu que retomasse a ponta do campeonato. Esses pontos fazem falta danada lá adiante.

 Não está fora da briga pelo título, mas precisa jogar mais. E bota mais nisso!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.