São Paulo segue em ritmo de treino

Antero Greco

10 de abril de 2011 | 20h19

O São Paulo não tem do que se queixar desta fase do Campeonato Paulista. Ela serviu para Paulo Cesar Carpegiani fazer ajustes e perceber que talvez tenha o maior número de opções dentre os favoritos ao título estadual. Mesmo sem vários titulares, o time manteve o ritmo e fez 4 a 1 com facilidade em cima do Noroeste, na tarde deste domingo. Por enquanto, está em segundo lugar (40 pontos), mas com chances de fechar a fase na liderança.

A vida do tricolor foi bem sossegada no calor de Bauru. Alex Silva, Miranda, Fernandinho, Lucas e Juan não jogaram e o restante do grupo nem sentiu. Sem forçar a barra, construiu o resultado, a partir do gol 101 de Rogério Ceni (de pênalti, aos 34 minutos da etapa inicial). No segundo tempo, Marlos e Dagoberto aumentaram a diferença, Aleilson diminuiu e Ilsinho fechou a conta aos 45 minutos. Simples, direto e prático, o São Paulo tem o melhor ataque desta etapa do torneio, com 38 gols, um a mais do que o Santos.

O que me chamou a atenção foi a harmonia da equipe. Não, não acho que o São Paulo seja um supertime, mesmo porque não tem nenhum no Brasil neste momento. Mas está acertado, mesmo com as mexidas, as experiências e a inquietação de Carpegiani. O importante é que os reservas quebram o galho, resolvem, ao contrário, por exemplo, do que tem ocorrido com o Corinthians, como falei no “post” anterior.

Sei que a fase de mata-mata pode mudar tudo – basta um vacilo e a vaca vai pro brejo. Mas, se for seguido o script que se espera, o São Paulo chega à semifinal, quem sabe à decisão. Outro aspecto importante: ganha corpo na Copa do Brasil, em busca de título inédito.

Tudo o que sabemos sobre:

Campeonato PaulistaCarpegianiSãoPaulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.