São Paulo vacila, mas vence e encosta na líder Ponte

Antero Greco

20 de fevereiro de 2013 | 22h27

Você viu o jogo que São Caetano e São Paulo fizeram no começo da noite no ABC? Foi bem, agradável. E no mínimo é divertida uma partida que tem seis gols. Tediosa não pode ser. O tricolor ganhou por 4 a 2, foi a 16 pontos, está em segundo lugar, junto com o Linense, e atrás apenas da Ponte Preta, que tem 18. Mas tem um jogo a menos do que os concorrentes.

O São Paulo oscila, ainda, como aconteceu em muitos momentos na temporada passada. Porém, progride, há jogadores que crescem (Osvaldo é um deles). Ney Franco percebe que possui mais alternativas para montar equipe forte. E principalmente para fazer alterações. A entrada de Aloisio no lugar de Ganso, quase no fim, foi prova disso: o rapaz jogou uns dez minutos, mas com uma vontade tremenda e fechou a conta aos 47 minutos.

Falta acertar o sistema defensivo. Há momentos em que dá branco total, a marcação falha, a zaga bata cabeça, provoca sustos, faz a alegria dos adversários. Foi assim nesta quarta-feira diante do Azulão. Depois da vantagem de 1 a 0 (gol de Luis Fabiano), em duas ocasiões a bobeira foi geral e daí surgiu a virada, com Danielzinho e Jobson. Gols quase em seguida.

Lúcio tem experiência pra dar e vender. Só que, em certas jogadas, fica vendido, passa a impressão de que o tempo se mostra implacável. Compensa, no entanto, com categoria. Tolói também vacila. Desequilibram, e de forma positiva, o meio-campo e o ataque. Mesmo com Ganso a jogar com o freio de mão puxado. Apesar disso, houve velocidade e criação, surgiram os gols de Maicon (ainda no primeiro tempo), Luis Fabiano e Aloisio.

Há potencial para aprimorar, e bem, o sistema de jogo. O São Paulo tem tudo para ser protagonista nos campeonatos que disputar nesta temporada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.