Seedorf, um gentleman no Botafogo

Antero Greco

30 de junho de 2012 | 19h56

Eis uma notícia interessante: a contratação do holandês Clarence Seedorf pelo Botafogo. A negociação rolava já há algum tempo – e dias atrás site ligado à torcida do Milan já dava a transferência como certa. Ela, no entanto, só se tornou oficial neste sábado. Seedorf deve ser apresentado na semana que vem e deve cumprir um período de treinos antes de estrear.

Seedorf é um veterano (36 anos) bom de bola. A carreira foi desenvolvida em clubes como Ajax, Sampdoria, Real Madrid, Inter e sobretudo Milan (uma década) e é repleta de conquistas. Seedorf dispensa apresentações, pois todo mundo que curte futebol internacional já o viu em ação, em trantas transmissões das nossas emissoras de televisão.

O que me chamou a atenção, nos contatos que tive com ele, em algumas viagens para Milão, foi a educação. Seedorf sempre agiu com gentileza, simpatia, disponibilidade – sem perder uma certa reserva. É um gentleman dentro de campo (nunca tomou um vermelho) e muito respeitado pelos companheiros e pelos adversários.

Fora também não perde a elegância. Eu o vi chegar a treinos em Milanello numa Mercedez reluzente e com motorista. Sim, senhor, está pensando o quê?! Apareceu para o trabalho numa estica de executivo. E o vi atender fãs com calma e sem esnobá-los.

Seedorf curte o Brasil, é casado com uma brasileira e fala português mais fluente do que muito jogador nativo… No ano passado, se cogitou de trazê-lo para o Corinthians, a convite do amigo Ronaldo Fenômeno. Lembro que estava em Milão e perguntei se gostaria da experiência. Disse que sim, mas que ainda não era a hora.

 

Agora, vai desfilar arte e picardia com a camisa do Botafogo. Que vai lhe cair muito bem.

Tudo o que sabemos sobre:

BotafogoSeedorf

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.