SP e vitória para espantar pressão

Antero Greco

25 Janeiro 2018 | 00h03

Começo de temporada é complicado, principalmente para time grande. Muitos jogadores estão fora de forma, mas os desafios aparecem de cara, com os Estaduais. Estes torneios simpáticos, tradicionais e em crise, não têm acrescentado muito. Porém, fazem cada estrago, sobretudo se as vitórias demoram para aparecer!

O São Paulo já começava a sentir os efeitos de oscilar. Estreou com derrota no Paulistão e empatou em seguida. Por isso, foi para Mirassol preocupado. Novo tropeço e tome ambiente tenso para o clássico com o Corinthians, no sábado. Sem contar o caso Cueva para resolver…

Dorival Júnior mandou a campo o que tem de melhor no momento e abandonou de vez a conversa de escalar time misto, colocar os titulares aos poucos e coisas do gênero. Foi com tudo e na base do seja o que Deus quiser. O Mirassol na dele, sem nada a perder.

E até que o São Paulo buscou o jogo. Partiu para cima, empurrou o rival para o próprio campo, tentou a sorte, finalizou. Com Petros na função que antes era de Hernanes e com Diego Souza como referência na frente. Fechou o primeiro tempo melhor. Pode não ter sido uma maravilha, mas tinha mostrado o suficiente para vantagem. Que não veio.

Na segunda parte, houve queda, o que é compreensível, pelo estágio de preparação dos times e pelo tempo quente em Mirassol. Mesmo à noite, a temperatura anda alta que só. Tanto que Petros sentiu o baque e saiu na metade. Uma maneira de preservar-se para o sábado. Entrou Lucas Fernandes.

Pouco antes, Brenner também tinha ido pro banco, com Caíque no lugar dele. E o rapaz foi bem. Deu velocidade aos contragolpes tricolores. As finalizações aumentaram, o goleiro Fernando Leal trabalhou bem e parecia que o viria outro 0 a 0 por aí.

Até que Diego Souza espantou a zica e abriu o placar aos 38. Foi um alívio, o São Paulo tirou uma tonelada das costas. Ficou tão leve que chegou ao segundo, com Marcos Guilherme, aos 44.

Agora é ver se estará relaxado (no bom sentido) para enfrentar o Corinthians. Era imprescindível vencer, e o São Paulo conseguiu. Ótimo para desanuviar.