SP ressurge e empurra Lusa no abismo

Antero Greco

09 de abril de 2015 | 03h19

A situação da Lusa era delicada, todos sabiam. O risco de despencar para a Série B paulista era enorme. Coube ao São Paulo dar o empurrão final, com os 3 a 0 na noite desta quarta-feira, no encerramento da fase de classificação do Estadual. Com o resultado, um ficou em terceiro (o São Paulo) e a outra afunda, como já havia ocorrido no Brasileiro (foi para a Série C).

Milton Cruz deu folga para quase todo o time titular – para tirar figurões do foco de tensão e, ao mesmo tempo, para dar alerta de que ninguém tem lugar cativo. Bom, nem ele tem… embora o presidente Carlos Aidar tenha dado a entender que poderia mantê-lo. Não sei se é o caso, pois Milton sempre ficou em segundo plano e para apagar incêndios.

De qualquer maneira, deu conta do recado, assim como a equipe, que correu mais do que o habitual – ou ao menos em comparação com os últimos jogos. Também encontrou facilidade em um adversário pra lá de assustado e desengonçado. Resultado: dois gols em 11 minutos. Dória aos 9 e Pato aos 11 colocaram tudo no devido lugar. Hudson deu a estocada final.

A vitória foi importante para o São Paulo – obviamente, toda vitória é bem-vinda. No caso, serviu para baixar um pouco a poeira e dar tranquilidade para a cartolagem procurar substituto para Muricy Ramalho. O time fechou a fase com nove vitórias, dois empates e três derrotas. Retrospecto muito bom, nos números, nem sempre no futebol apresentado.

Milton comanda o time na próxima final – a data do jogo com Red Bull será definida nesta quinta-feira, em reunião na FPF. Em princípio, deve recorrer para os titulares, principalmente os de meio-campo e Rogério Ceni. No entanto, depois de ver uma turma bem disposta diante da Lusa, não será surpresa se der uma ou outra mexida. A conferir.