SP x Corinthians, empate em bom jogo

Antero Greco

09 de agosto de 2015 | 20h02

A defesa do Corinthians é sólida, o São Paulo é time instável. A previsão, portanto, era a de um clássico paulista morno, para a tarde deste domingo, no Morumbi. E não foi assim. A partida não foi um portento técnico, mas ficou longe da monotonia. Só o empate de 1 a 1 não serviu grande coisa para nenhum dos lados.

A atitude tricolor esteve de acordo com quem precisava ganhar para fazer sombra aos líderes. Juan Carlos Osorio botou a equipe pra cima do Corinthians. Com o tempo, se viu filme repetido: a resistência e a eficiência alvinegras em ação. Num dos poucos lances de vacilo são-paulino, Luciano fez o gol. Com isso, também, deu razão a Tite, que o escolheu para o lugar de Vagner Love. Se bem que, depois, não teve participação brilhante.

O São Paulo teve o mérito de não perder a cabeça nem se afobar, como se viu em outras ocasiões. Manteve a toada, empatou com Luís Fabiano, chegou perto do gol de Cássio várias vezes e no finalzinho reclamou de pênalti em chute de Wesley que Uendel desviou (pelos critérios atuais da arbitragem, daria pênalti…).

O treinador colombiano continua com a inquietação na montagem do time. E desta vez foi atrevido no segundo tempo, com as mudanças – Auro, Wesley e até Breno entraram em bom ritmo. Destaque, porém, ficou para Luís Fabiano, com o gol, bolas na trave, movimentação intensa, chutes e, o mais importante, sem tomar cartão.

O valor do Corinthians, como sempre, foi o autocontrole na hora do aperto. Até quando ficou com um a menos pela expulsão de Felipe. Isso explica, em parte, por que Tite raramente muda a forma de a equipe jogar.

Tendências: