Palmeiras emperra de novo o São Paulo

Antero Greco

27 de setembro de 2015 | 19h38

O São Paulo por segundos não ultrapassou o Palmeiras na briga pelo G-4. Até os 47 vencia por 1 a 0, no clássico disputado no Morumbi, e saltava para o quarto lugar. Rogério Ceni foi fazer um passe, errou, a bola sobrou no bico da área para Robinho que, por cobertura, empatou: 1 a 1 e frustração tricolor.

O resultado foi castigo pesado para quem jogou melhor. O São Paulo buscou a vitória, fez o Palmeiras encolher-se, criou oportunidades, incomodou Fernando Prass (que poderia ter levado vermelho em lance esquisito fora da área), ficou em vantagem com gol de Carlinhos aos 15 minutos do segundo tempo e refugou no finalzinho.

Vá lá que as duas equipes tiveram baixas e ambas estão voltadas também para a Copa do Brasil. Mas o Palmeiras mais do que o SP, pois tem a tarefa de passar pelo Inter, no meio da semana, no Allianz Parque (1 a 1 em Porto Alegre). Os tricolores fizeram 3 a 0 no Vasco e, mesmo com um rival em ascensão no Brasileiro, correm risco mínimo de desclassificação.

O técnico Juan Carlos Osorio pretendeu ganhar a batalha no meio-campo. E, de certa forma, conseguiu, não fosse a falha individual que levou à igualdade final. Carlinhos, Thiago Mendes, Michel Bastos e Ganso controlaram o jogo e pouco espaço deram para o Palmeiras, que sentiu falta de Dudu e viu Barrios sumido em campo.

Ao São Paulo falta o toque do vencedor. Por mais que jogue bem, sempre ocorre algo para atrapalhar; ao contrário do que acontece, por exemplo, com o Corinthians. Por isso, virou time imprevisível, embora com chances ainda de Libertadores.

O Palmeiras se vale das muitas alternativas para finalizar. Por isso, tem dos melhores ataques do campeonato. Dificilmente passa em branco um jogo. Mesmo que, para tanto, conte com engrossada de um astro como Rogério Ceni.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.