Torcida vaia Palmeiras já na estreia: pelo jeito, 2011 promete

Antero Greco

15 de janeiro de 2011 | 22h30

Foi só o pontapé inicial, a largada do Campeonato Paulista, a primeira apresentação oficial de 2011. Mas a torcida do Palmeiras já mandou o recado, na noite deste sábado. Assim que terminou o jogo com o Botafogo de Ribeirão Preto, 0 a 0 sem graça, vaias esvoaçaram pelo estádio do Pacaembu. Pouco antes, das arquibancadas veio o coro, tradicional e sempre constrangedor: “Queremos jogador, queremos jogador.”

A torcida palestrina percebeu, pelo aperitivo que lhe foi servido, que o banquete tem tudo para ser indigesto, como nas últimas temporadas. O time que Luiz Felipe Scolari pôde mandar a campo tem as limitações do ano passado e a mesma capacidade para incomodar, mas apenas os seus fãs. Exceto por um chute forte de Tinga, aos 20 minutos do primeiro tempo, e por uma ou outra cobrança de falta de Marcos Assunção, o goleiro Júlio César não teve sobressaltos. Não precisou mostrar serviço diante do Palmeiras.

Felipão recorreu ao que tem de melhor no momento – o que equivale a uma equipe bem meia-boca. A defesa teve os vacilos costumeiros, e por sorte não foi pressionada com constância. O meio-campo manteve a regularidade – ou seja, desarma e não cria. O ataque, com Luan e Kleber, não dá para ser chamado de ataque. Ambos foram pouco acionados e raramente chutaram a gol. Um anfitrião comportadíssimo, que não importunou o convidado.

Em circunstâncias normais, é injusto vaiar um time na estreia do ano. O preparo físico está longe do ideal, há desfalques, o ritmo é mais lento. Essas pelos menos são as atenuantes de rotina e em geral bem aceitas. Costuma-se dar umas semanas de tolerância. Então, significa que a impaciência inicial do torcedor palmeirense foi descabida? De jeito nenhum. Descabida foi a década perdida pelo clube. Seus admiradores temem repetir-se filme velho e tratam de agir já na largada.

Já que desgraça pouca é bobagem, o melhor jogador do Palmeiras na primeira rodada, como bem observou o jornalista Gian Oddi (@gianoddi) no tuíter, foi Maikon Leite, com dois gols para o Santos, nos 4 a 1 sobre o Linense. Os outros foram marcados por Zé Eduardo (que começou no Palmeiras) e por Keirrison (alviverde por alguns meses em 2009)…

Haverá eleições no Palmeiras na quarta-feira. Quem vencer se prepare, porque a pressão virá forte se os bons resultados, assim como títulos e contratações de peso, teimarem em passar bem longe da rua Turiaçu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.