Tite anda com a pulga atrás da orelha

Antero Greco

24 de maio de 2016 | 19h15

Meus amigos, Tite anda com a pulga atrás da orelha. Ele e a torcida do Corinthians, bem entendido. Principalmente depois de eliminações no Paulista, na Libertadores e com a derrota para o Vitória.

Agora nem se trata de desdobramento do desmanche ocorrido no meio do ano. Para as posições dos que se mandaram, até que encontrou alternativas razoáveis. O negócio é com quem já está no clube. Tem gente que, na avaliação do “professor”, tem negado fogo. Daí a necessidade de mudanças.

Os dois indícios de que Tite está cismado vieram com a saída de Cássio e André do time titular para o banco. O goleiro deu lugar para Walter, após quatro anos como o número 1 da casa alvinegra. Herói da Libertadores e do Mundial de 2012, o grandalhão foi descansar na reserva, em função da inconstância nas atuações.

Tite é educado, diplomático e não costuma dar pitis. Por isso, para o público externo explicou que a alternância no gol estava dentro da programação. Veio com papo de rodízio e coisas do gênero. A gente sabe que não é assim que funciona. Goleiro é posição de confiança – do técnico e dos demais jogadores. O entra e sai só ocorre em situações específicas; digamos, o titular joga o campeonato e o reserva entra em Copas.

Com Cássio e Walter não está sendo assim. O reserva simplesmente foi chamado para entrar de vez e fim de papo. Vai depender dele, e dos resultados, a duração da permanência. E da reação de Cássio nos treinamentos.

O segundo indício foi dado nesta terça-feira, com a ida de André para o lado dos reservas no treino. Luciano ocupou a vaga no comando do ataque. André veio cercado de expectativas, depois de oscilar muito nos clubes pelos quais passou, dentre eles Santos, Vasco, Atlético-MG.

Com a debandada no Parque São Jorge, de uma hora para outra viu-se na condição de titular. Algumas boas apresentações e, pronto, estava resolvida a questão. Vários jogos depois, e com 5 gols marcados e incontáveis desperdiçados, fica à sombra. Se bobear, vai demorar para voltar. Se voltar.

Fato é certo: Tite está inquieto e vê que o Corinthians se mostra longe de formação ideal e equilibrada.

 

Tendências: