Ufa, o Corinthians vence!

Antero Greco

19 de outubro de 2013 | 23h18

Não sou chegado na conversa de que vale vitória a qualquer custo, mesmo de meio a zero, com gol de mão, impedido e aos 48 minutos do segundo tempo. Mas há certos resultados que devem ser levados em consideração e, mesmo magros em circunstâncias normais, surgem como goleadas, em época de maré baixa. Nesse caso encaixo o 1 a 0 do Corinthians, na noite deste sábado, diante do Criciúma, em Itu. Gol de Alexandre Pato.

Pela poeira que se levantou pelos lados do Parque São Jorge nas últimas semanas, sobretudo nestes dias, acumular mais três pontos era tudo de que os corintianos necessitavam. O ambiente ficou carregado, por pouco Tite não pegou o boné e foi cantar em outra freguesia. Os torcedores exaltados de sempre puseras as manguinhas de fora, com promessa de tumulto.

Pois agora é possível respirar um pouco e acreditar, até, em reação no Brasileiro, no mínimo com desfecho de temporada digno, apesar de aquém do imaginado. O Corinthians teve mérito, diante dos catarinenses, de jogar com persistência, tenacidade. Isso não equivale a show, apresentação impecável e coisas do gênero. Mas prevaleceu a eficiência – detalhe, ok, mas ausente nos três empates recentes e na derrota para o Grêmio.

O Corinthians criou mais do que o Criciúma, chutou muito a gol, errou bastante e foi contemplado com o gol de Pato no segundo tempo. O rapaz é inconstante; no entanto, tratou de compensar com movimentação bem superior, por exemplo, àquela que mostrou no amistoso da seleção com Zâmbia, na terça-feira, na China. Fora de fuso, decidiu o jogo.

O Corinthians pode ganhar impulso para respirar, espantar crise e animar-se no duelo com o Grêmio, de novo em Porto Alegre, mas desta vez pela Copa do Brasil. A situação é tão maluca que o time que por pouco não despachou o treinador ainda briga por um título. Vai saber…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.