Vacilos de Bota e Galo na noite de sábado

Antero Greco

10 de agosto de 2013 | 22h18

O Botafogo termina o sábado sozinho na ponta do Brasileiro, com 25 pontos. O Atlético-MG foi dormir fora da zona de rebaixamento, com 12 e na 17.ª colocação. Mas os dois alvinegros decepcionaram, ao ficarem em empate contra Goiás (1 a 1) e Náutico (0 a 0), respectivamente. Saíram devendo futebol.

Não faltam motivos para classificar como frustrantes os resultados de ambos. O Botafogo, pela campanha que faz, tem possibilidade de jogar muito mais do que mostrou no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, que teve público razoável.

A turma de Seedorf se enroscou na boa marcação do Goiás, penou para abrir vantagem e só fez 1 a 0 no começo do segundo tempo, com Rafael Marques. Mesmo assim, não produziu o suficiente para aumentar a diferença e sofreu o empate aos 26, em gol contra de André Bahia. E os goianos quase viram, mas o chute de Walter acertou a trave.

O Botafogo pode cair para o terceiro lugar, ao final da rodada. Para tanto, basta que Cruzeiro (24) ganhe do Santos e que o Coritiba (23) passe pelo Vasco. O que não é nada improvável de acontecer.

Como também não é difícil o Galo retornar ao bloco de baixo, se o Criciúma (12) superar a Ponte em Campinas e se o São Paulo (9) derrotar a Lusa, no Canindé, no clássico paulista que fecha o final de semana.

O Atlético pode alegar como atenuante o fato de ter jogado como visitante no Recife. Mas é atenuante frágil. Com time titular em campo (claro que agora sem Bernard), teve dificuldade para impor-se, jogou com lentidão, foi dispersivo mais uma vez.

Ainda não veio a sacudida após a conquista da Libertadores. São cinco jogos sem vencer – três derrotas e empates nas duas últimas apresentações. Retrospecto ruim, mas não desesperador. O campeão da América não cai; mas, do jeito que vai, daqui a pouco marca passo no Brasileiro, à espera do Mundial de Clubes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.