Vasco, continuam sofrimento e esperança

Antero Greco

22 de novembro de 2015 | 21h28

O sofrimento do Vasco continua, assim como a esperança de salvação. Desta vez, fez a parte dele, com os 2 a 1 sobre o agora rebaixado Joinville, foi a 37 pontos, mas não consegue respirar aliviado porque o Figueirense empatou e o Coritiba venceu. Ambos têm 40 e são os primeiros fora da faixa de descenso.

A tarefa contra o JEC praticamente foi liquidada em 12 minutos, período suficiente para os gols de Nenê e Riascos. Dali em diante, o Vasco gastou o tempo, apostou no desamparado de um rival sem chance, levou susto só nos minutos finais, com o gol de Rafael Donato, porém não deixou escapar a vitória. Em seguida, ficou na torcida contra os outros concorrentes às vagas para a Série B.

O Vasco tem o Santos, na próxima rodada, e encerra participação diante do Coritiba, fora de casa. Talvez esse seja o confronto para definir o último rebaixado. Pelo andar da carruagem, além do Joinville, também o Goiás vai para o espaço. O Avaí está no mesmo caminho.

Por isso, é imprescindível ganhar do Santos no fim de semana e repetir a proeza do Coxa, que neste domingo jogou com portões fechados, em Curitiba, e aplicou 1 a 0 nos santistas.

O Vasco pode beneficiar-se do fato de o Santos estar entre uma e outra partida com o Palmeiras, pela final da Copa do Brasil, e optar de novo por time misto. Tomara, para os cruzmaltinos, essa seja a alternativa que venha a ocorrer.

Mas tem a contrapartida: o Coritiba visita o Palmeiras, que está na mesma situação do Santos. Vai que os palmeirenses entrem só com reservas…

Haja adrenalina.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.