Vasco e Fla fazem treinos para decisão no Rio

Antero Greco

28 de abril de 2011 | 00h58

Vamos falar sem rodeios? Os jogos de Vasco e Flamengo pela Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, não passaram de treinos para a final da Taça Rio, no domingo. Os dois times cariocas não tiveram problema para eliminar Náutico e Horizonte, respectivamente, seguem adiante no torneio nacional e ganham mais fôlego para o Estadual.

A interrogação pairava sobre o Flamengo. O time de Luxemburgo viajou para o Ceará sob desconfiança, mesmo tendo vencido o primeiro turno do Carioca e com vaga na final do returno, sempre invicto. A dúvida, no entanto, ficava em torno da possibilidade de ser atropelado pela zebra Horizonte, após empate por 1 a 1 na semana passada.

Pois o Flamengo, sem Ronaldinho Gaúcho e Leo Moura, afastou suspeitas e angústias já aos 8 minutos, com o gol de Galhardo. A vantagem foi suficiente para acalmar o rubro-negro e para inquietar os cearenses. O nó, se havia, foi desatado de vez por Deivid, aos 3 minutos do segundo tempo. Daí pra frente, foi só esperar o tempo escoar, até o terceiro gol, de Williams. Golaço à maneira de Messi, ao fazer fila de adversários.

O Flamengo vive um momento contraditório: pode ser campeão carioca direto, sem necessidade de finalíssima, avança para as quartas de final da Copa do Brasil, e ainda assim há quem não o veja como favorito em nada. Vai entender?

Deu para entender a maneira mais relaxada do Vasco diante do Náutico, em São Januário. Depois dos 3 a 0 na ida, no Recife, os dois times tiraram o pé. Os cariocas tinham certeza da classificação, os pernambucanos estavam conformados com a eliminação. A preocupação é com a decisão do torneio de Pernambuco.

Nesse astral, o jogo foi fraco, sem lances notáveis. Ainda assim, sobraram cartões amarelos: 2 para o Vasco e 7 para o Náutico. O Vasco confirmou o retorno de Juninho, após uma década andando por aí. E confirmou, também, que o início de ano desastroso é página virada. O novo Vasco está na briga por dois títulos, renasceu, revigorou-se.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.