Vasco em dificuldade? Basta pegar o Fla

Antero Greco

27 de setembro de 2015 | 18h59

Que sina a do Flamengo nos duelos recentes com o Vasco. Pode estar por cima no que for que, ao topar com o tradicional rival, pisa na bola, tropeça e cai. Não importa em que posição ambos se encontrem.

Foi assim mais uma vez neste domingo: o Fla, de olho no G-4, perde de virada (2 a 1) para o Vasco doido para sair do Z-4. O Maracanã foi palco de novo capítulo de uma novela com roteiro repetido, com final feliz sempre para o mesmo lado. Haja gozação.

A sorte ameaçou mudar de destinatário no começo do duelo. A turma rubro-negra, disposta e rápida, abriu vantagem com Emerson Sheik aos 11 minutos, em jogada que contou com a participação de Guerrero. Pronto, parecia que a ordem se reestabeleceria no confronto.

O Fla bloqueou o meio-campo, com Márcio Araújo, Canteros e Alan Patrick, e tratava de enfiar bolas para Paulinho, Sheik e Guerrero. Era a receita para não deixar o Vasco respirar.

Deu certo no primeiro tempo e se esgotou no segundo. Pois o Vasco inverteu a situação, foi quem empurrou o adversário para o próprio campo e partiu, de novo, para o tudo ou nada, como tem feito nas últimas rodadas. Estratégia arriscada e acertada, que resultou nos gols de Rodrigo aos 12 (falta) e Nenê aos 16 (pênalti).

Mais do que o resultado (importante por si só), anima o Vasco o futebol solidário e menos conturbado de um tempo atrás. Os jogadores abandonaram o medo de errar, recuperaram confiança e não por acaso levaram o time a 4 vitórias e um empate em cinco rodadas.

Os 26 pontos ainda não servem para tirar o Vasco da parte de baixo. Mas fazem vislumbrar uma saída que até recentemente parecia ser uma só: a da Segunda Divisão. Há esperança de salvação – e por méritos do Vasco. O Fla volta à oscilação anterior.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: