As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Adeus, Dunga!’, vezes 3

André Rigue

16 de outubro de 2008 | 00h18

Pelo terceiro jogo consecutivo em casa, o Brasil não passou de um empate sem gols pelas Eliminatórias da Copa 2010. Antes da Colômbia, a equipe havia tropeçado diante de Argentina (em Minas Gerais) e de Bolívia (no Rio de Janeiro).

E pelo terceiro jogo seguido no Brasil, o grito de “Adeus, Dunga!” foi cantado pelos torcedores.

Mas seria realmente Dunga o responsável pelos vexames do Brasil em casa? Afinal, não marcamos gol há mais de 270 minutos em solo tupiniquim, algo impensável para uma seleção da importância da nossa, com histórico de futebol ofensivo.

Dunga realmente não tem um currículo que o coloque como treinador de uma seleção como a brasileira. Existem treinadores com mais capacidade no próprio Brasil: Muricy Ramalho e Vanderlei Luxemburgo, por exemplo.

Dunga tem sua culpa, mas ela, no entanto, é pequena. O maior responsável por tudo isso é quem o colocou no cargo: Ricardo Teixeira.

Enquanto tudo continuar igual, o Brasil vai tropeçar. É preciso uma mudança de comando. E essa mudança de comando não é apenas no cargo de treinador, mas sim no de presidente. É a hora dos torcedores gritarem “Adeus, Teixeira!”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.