As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Agências de turismo tentam repassar ingressos do jogo aos corintianos

Robson Morelli

27 de junho de 2012 | 15h40

Por Fábio Hecico e Raphael Ramos, enviados especiais a Buenos Aires

Os cambistas argentinos estão cobrando até R$ 1,4 mil por um bilhete para o jogo desta noite. É pegar ou largar. As agências de viagens incluíram em seus pacotes os bilhetes. Em muitos cantos nas ruas há quem peça ‘apenas’ R$ 150, mas é visível a falsificação malfeita. Fuja desses.

Outra tática adotada pelos ‘hermanos’ é colocar funcionários brasileiros para oferecer as entradas para a La Bombonera. Uma das escolhidas para o trabalho vestia-se com a camisa do Corinthians. Mas ela não sabia nada sobre ‘seu time’. Seu negócio era tentar repassar os bilhetes.

Um jovem chamado Ítalo, também brasileiro, até deus aos repórteres do Estadão um catálogo de passeio da Buenos Aires Express. Ele oferecia os serviços com seu telefone particular. “É garantido, ingresso original e para um setor único do estádio para turistas. Lá é bem sossegado, o que garante a segurança de todos.” O rapaz alertou para o fato de ter de se misturar com torcedores do Boca, mas todos também turistas a Buenos Aires.

Os brasileiros sem ingresso ficam entusiasmados. Os agentes pedem pressa para a confirmação. Dizem que a procura é grande. Os amigos Sávio Baldan, Silvano de Franco, Felipe Barbosa e Marcos Barberino estavam com dúvidas se o serviço valeria mesmo a pena. Os dois últimos viajaram com os bilhetes, enquanto os dois primeiros desembolsaram aqui na Argentina R$ 350 cada por um ingresso.

“Não sei não, acho que vamos jogar uma grana no lixo. O cara diz que vai levar a gente até a porta do estádio e nos colocar pra dentro. Só quero ver”, disse Sávio. “Vimos ingressos falsos. Esse parece bom.” Pessoas ligadas ao Corinthians sugeriram que essas agências “quentes” fossem ao hotel onde o clube está hospedado já que a procura por lá é imensa.

Tudo o que sabemos sobre:

Corinthians; Copa LIbertadores

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: