Análise: surpresa russa favorece o Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Análise: surpresa russa favorece o Brasil

Giuliander Carpes

15 de setembro de 2011 | 14h00

Giuliander Carpes, enviado especial

KAZAN – A surpresa que os russos fizeram ao colocar Igor Andreev como número 2 da equipe pode se voltar contra os donos da casa. Andreev é o tenista do time da Rússia que pior se adapta às condições do confronto, que começa nesta sexta-feira, às 8 horas, no carpete coberto da Academia de Tênis de Kazan. O 81º colocado do ranking mundial gosta de jogar no saibro e, por ter sido criado sobre esta superfície, tem um estilo de jogo que se encaixa mais com o dos brasileiros: utiliza bolas altas e não é tão agressivo quanto os companheiros russos, embora tenha um forehand perigosíssimo. Mesmo que a quadra não esteja tão rápida quanto se esperava, é o menos perigoso dos adversários.

Thomaz Bellucci é favorito contra Andreev mesmo na Rússia. Ricardo Mello, que abre o confronto contra Mikhail Youzhny, provavelmente não dará o primeiro ponto para o Brasil, então o jogo de duplas do sábado será crucial. A melhor chance de a equipe brasileira vencer o confronto e retornar ao Grupo Mundial da Copa Davis após oito anos é chegar ao último dia de duelos com vantagem de 2 a 1 (vitória de Bellucci e da dupla Bruno Soares/Marcelo Mello). Bellucci teria a primeira chance de garantir a vitória contra Youzhny em uma fase difícil de sua carreira (caiu de 15º para 32º do ranking mundial nesta semana). Se não conseguisse, ainda haveria o último jogo, de Mello contra algum dos russos.

Aposto que Andreev não entraria em quadra no último dia em caso de desvantagem da Rússia, mas que o capitão Shamil Tarpischev tenha poupado Dmitry Tursunov do confronto com Bellucci para usá-lo caso a situação se complique para os donos da casa. Os russos ainda são os favoritos para estar no Grupo Mundial em 2012, mas a divulgação da escalação aumentou as chances do Brasil também surpreender..

 

Tudo o que sabemos sobre:

BrasilDavisRússiatênis

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.