As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ave, Caesar Hadrianus!

miltonpazzi

06 de março de 2008 | 01h35

Ele pediu para ser chamado de Imperador. Colocou a culpa de seus deslizes, ocorridos na semana passada, na imprensa. Aceitou a multa imposta pelo diretoria e pediu desculpas aos jogadores. E, na quarta-feira, dia 5 de março, Adriano mereceu receber o título de Imperador.

Não fez uma partida brilhante; longe disso. Mas o atacante brigou, discutiu, lamentou e utilizou até o pé direito na tentativa de balançar as redes. E, quando a torcida já pedia sua saída e exaltava o carismático Aloísio, Adriano ressurgiu das cinzas e marcou os dois gols da vitória do São Paulo sobre o Audax, pela Libertadores.

A torcida o exaltou, os jornalistas o perseguiram em busca de declarações, e Adriano reviveu os momentos de glória vividos na Inter de Milão. Mais calmo, obviamente pelos gols, o jogador pediu calma e disse que está ciente que receberá críticas e elogios, e que depende dele recuperar o prestígio outrora alcançado. Nada como um dia após o outro.

Por ter dado a reposta em campo e mostrado à torcida do São Paulo que pode liderar o time na Libertadores, Adriano, hoje, merece o humilde cumprimento: Ave, Caesar Hadrianus!

DODÔ SHOW

O que acontece com Dodô? Quando parece que não tem mais espaço no futebol, eis que o atacante aparece e dá uma exibição de gala no Maracanã, com dribles, passes e um gol digno de placa.

Além do show proporcionado por Dodô, o Fluminense mostrou que pode, sim, sonhar com o título da Libertadores. Até o momento, não vi equipe com tamanha facilidade para tabelar e aniquilar o adversário com gols bonitos. A empolgação precisa ser deixada de lado, mas é muito bom ver um time brasileiro jogar de tal maneira. Talvez a explicação seja a volta do pó-de-arroz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.