CARECAS DE HOLANDA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

CARECAS DE HOLANDA

Jotabê Medeiros

28 de junho de 2010 | 12h53

cronicas copa

robben480 ap Martin Meissner 28062010

Os carequinhas da Holanda, Robben e Sneijder, destroçaram a valente Eslováquia, que lutou até o final mas perdeu de 2 X 1 (Vittek diminuiu de pênalti, inexistente).

O primeiro gol, de Robben (que só entrou no time agora, no lugar de Van der Vaart), foi uma pintura: arrancou pela direita, driblou para dentro tirando dois adversários e bateu forte, colocado, no canto de Mucha.

O segundo, de Sneijder, veio de uma bobeada incrível da defesa eslovaca, e maior ainda do goleiro Mucha (boa figura em campo, mas saiu atabalhoadamente no lance).

Já nos descontos, Vittek fingiu que tinha sido derrubado pelo bom goleiro Stekelenburg, da Holanda, e o juiz marcou pênalti. Mais uma falha da arbitragem, mas aqui bastante compreensível porque Vittek deixou o pé no corpo do goleiro para simular um choque.
Foi um jogo completamente dominado pela Holanda, que tem um time harmonioso, da defesa até o ataque. Se o Brasil passar do Chile, será o teste definitivo.

Hamsik foi totalmente dominado pela marcação de Bronckhorst e Kuyt (um gigante na partida). Weiss é mais um ciscador.
O técnico da Holanda, Bert Van Marwijk, manteve o time base mesmo quando estava sendo apertado pela Eslováquia, e o esquema de contra-ataques puxado por Van Persie e Kuyt acabou matando a Eslováquia – sem pulmões e força para chegar no final.

Sneijder torceu o pé, mas continuou jogando após mancar um pouco até marcar o segundo gol. Ele e Robben são a porção mais talentosa da Holanda.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.