As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Chora, chorão!

miltonpazzi

02 de março de 2008 | 21h57

“Disseram que sou chorão, então eu sou, mas choro de alegria”. Esta é a frase do meia Valdívia logo após o término da vitória do Palmeiras por 1 a 0 diante do rival Corinthians.

Autor do gol, Valdívia imitou a comemoração do flamenguista Souza (em relação à final da Taça Guanabara e das reclamações do time do Botafogo) e não hesitou em dizer que as declarações do zagueiro William, do Corinthians, o deixaram motivado para o clássico.

William, assim como André Santos, havia dito, ao longo da semana passada, que Valdívia exagerava demais e simulava faltas. O chileno ouviu tudo e deu a resposta no clássico paulista. O futebol precisa disso, de brincadeiras bem-humoradas, mas a “choradeira” do chileno quase terminou em confusão, pois André Santos e Héverton não gostaram nem um pouco de tal atitude.

Valdívia, se for para colocar fogo em toda partida e torná-la mais agradável, faça um favor a todos os amantes do bom e velho futebol: continue sendo um “chorão”.

QUEM REALMENTE DEVE CHORAR?
Ao que parece, quem realmente sai do clássico paulista com o choro entalado na garganta é o torcedor corintiano, que dava como certa a vitória sobre o rival. Agora, o Palmeiras soma quatro vitórias consecutivas sem sofrer um gol sequer. A freguesia está consolidada. Como os clubes estão investindo pesado em ações de marketing, sugiro a criação de um “cartão-freguesia” para os corintianos. Se o Lula souber disso…

Deixando as brincadeiras de lado, quem deve mesmo chorar é a torcida do Santos, pois o time não pára de dar sustos. A derrota para o Sertãozinho deixou até o goleiro Fábio Costa boquiaberto. “Fazemos partidas boas e, do nada, ruins, como esta. Precisamos melhorar”, disse o goleiro, que é a principal estrela do grupo santista. Será que a regularidade almejada pela torcida acontece até o final do Paulistão? A Segundona do Paulista é bem mais sinistra que a Série B do Brasileirão.

IMPERADOR
Adriano achou a razão pela qual não está jogando bem: a imprensa. Aposto que quem dirigia o Porsche dele, às 4 horas da madrugada, e bateu num cruzamento da Avenida Paulista, em São Paulo, era um jornalista (conheço vários que realmente são péssimos motoristas). Eu adoraria dirigir um Porsche (quem não gostaria?), mas tomaria mais cuidado, principalmente nos cruzamentos…

Eu, particularmente, acredito que o Imperador (Adriano exigiu que seja chamado assim) recupere o futebol que apresentou na Inter de Milão e volte à seleção brasileira. Ele, no entanto, precisa entender, de uma vez por todas, que o problema é dele e, muitas vezes, está por perto, muito perto (amigos que não passam de sanguessugas). Colocar a culpa nos outros – neste caso a imprensa – de nada vai adiantar. Sugiro a você, Adriano, que leia sobre a história do seu homônimo, o verdadeiro Imperador Adriano. Aposto que tirará algumas valiosas lições.

PATACOADA DA SEMANA
Mantendo a tradição (de apenas dois posts…), a “patacoada da semana” vai para as brigas entre torcedores do Palmeiras e do Corinthians. Até quando a palhaçada vai, hein? Quer polemizar e deixar sua marca? Simples, discuta de forma civilizada em blogs como este ou fóruns de futebol.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.