As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Choradeira de perdedor

Robson Morelli

18 de fevereiro de 2007 | 18h11

Muita cara de pau dos jogadores do Corinthians cercarem o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza após o terceiro gol do Paulista, sábado, aos 49 minutos e 57 segundos do segundo tempo. “Ele poderia ter acabado o jogo, mas como a bola estava rolando esperou pela conclusão da jogada”, esbravejou o zagueiro Gustavo.

Ora! Além das alterações do segundo tempo e dos acréscimos normais dados em uma partida, o juiz parou o jogo aos 33 minutos para que os jogadores tomassem água e se refrescassem, tamanho era o calor em Jundiaí. Vale lembrar que os corintianos festejaram a parada, coisa que os atletas do Paulista não fizeram. Eles queriam jogo ou queriam evitar que os corintianos recuperassem o fôlego. E por ironia do destino, quem reclamou no final foi justamente quem se sentiu beneficiado com as paradas, o time do Corinthians.

Para mim, tudo não passou de choradeira de perdedor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: