As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Decadência dos grandes ou ascensão dos pequenos?

miltonpazzi

08 de fevereiro de 2008 | 01h06

A mediocridade dos grandes clubes no Campeonato Paulista tem explicação, pelo menos para o técnico do Santos, Emerson Leão. Após a magra vitória por 1 a 0 diante do Marília, o treinador não hesitou em parabenizar os clubes do interior e dizer que eles estão melhores que Palmeiras, Corinthians, São Paulo e o Santos.

Ainda de acordo com o treinador, as equipes interioranas (ele esqueceu de mencionar que o Juventus está localizado na cidade de São Paulo) tiveram mais tempo para treinar, o que é parcialmente correto. O Guaratinguetá teve, mas a Ponte Preta, segunda colocada, com 16 pontos, não. O time campineiro, inclusive, reformulou praticamente toda a equipe, incluindo o treinador, que é o ex-goleiro Sérgio Guedes. Desta forma, a teoria do “mais tempo” foi por água abaixo.

Além da Ponte Preta, podemos citar o Ituano, que montou o time às pressas, com vários atletas emprestados pelo Palmeiras. Hoje, o time de Itu, comandado por Pintado, ocupa a quarta colocação, com os mesmos 13 pontos do São Paulo, o único invicto na competição, mas que empacou no estilo de jogo, já que parece se interessar somente em alçar bolas à área para Adriano tentar a cabeçada.

Fica claro, assim, que o decadência dos grandes clubes não está apenas na melhoria dos clubes chamados pequenos, e sim na falta de planejamento dos grandes. Vejamos: O Palmeiras demorou demais para contratar e ficou mais empolgado em anunciar para todos que seu técnico era Vanderlei Luxemburgo. O Corinthians contratou vários jogadores de qualidade questionável, como Herrera, Suárez e Valença. O São Paulo caiu na soberba de achar que, por ser bicampeão brasileiro, não precisaria de peças de reposição. Hoje, o clube sequer consegue fechar o elenco para a disputa da Libertadores. E, por último, o Santos, que demorou demais para descobrir que Luxemburgo não era mais seu técnico e que era preciso contratar alguns jogadores, o que não aconteceu. Bem, aconteceu, mas como o próprio Leão disse, Michael “Jackson” Quiñonez, Molina, Tripodi e Pinto são jogadores desconhecidos que, quem sabe, ganharão uma chance ou outra de jogarem com a camisa santista.

Mas não se preocupem, teremos ao menos dois grandes entre os quatro finalistas do Campeonato Paulista. É esperar para ver…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.