As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E ganhou o melhor time

André Rigue

20 de abril de 2008 | 20h58

O Palmeiras mereceu a classificação para a final do Campeonato Paulista: mostrou mais consistência do que o São Paulo. O time do Morumbi, aliás, não perdeu por causa do gás arremessado no vestiário, como disse o zagueiro Alex Silva. O São Paulo perdeu porque encontrou pela frente um clube mais preparado.

Rogério Ceni falhou no primeiro gol do Palmeiras. E falhou feio. O volante Fábio Santos não conseguiu repetir o sucesso de Zé Luis na marcação de Valdivia. E o lateral Júnior deixou uma avenida para os palmeirenses.

Ao São Paulo, resta se concentrar na Copa Libertadores. Se não vencer o Atlético Nacional-COL nesta quarta-feira, corre o risco de ser o único brasileiro eliminado na primeira fase – um vexame para quem até então era considerado um exemplo de administração.

Já o Palmeiras não pode comemorar o título antes do tempo. A Ponte Preta é uma equipe organizada. O técnico Sérgio Guedes tem o grupo na mão. O experiente Vanderlei Luxemburgo certamente vai pedir seriedade aos jogadores – vale lembrar que o Palmeiras já perdeu um título para a Inter de Limeira, em 1986.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.