As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entendeu alguma coisa?

Giuliander Carpes

14 de setembro de 2011 | 14h00

Giuliander Carpes, enviado especial

KAZAN – O idioma é definitivamente uma barreira na Rússia. Principalmente em Kazan, cidade não tão desenvolvida quanto a capital Moscou. Sem um intérprete, é muito difícil fazer jornalismo. Ainda bem que a organizada Federação Russa de Tênis, acostumada a receber confrontos importantes pela Copa Davis, disponibilizou alguns aos jornalistas brasileiros. Senão seria difícil entender a primeira coletiva de imprensa da equipe russa.

Os jogadores da equipe falam inglês, mas o capitão e presidente da federação, Shamil Tarpischev, nem arranha o idioma. O que dificulta ainda mais de extrair dados sobre a construção da suntuosa Kazan Tennis Academy, o melhor centro de treinamento da Rússia, onde será realizado o confronto com o Brasil a partir de sexta-feira.  O complexo será tema de uma postagem específica na sequência. Por enquanto, ficamos com a coletiva de imprensa dos russos. Está fácil de entender alguma coisa?

(O repórter viajou a convite da Confederação Brasileira de Tênis)

Tudo o que sabemos sobre:

Copa DavisRússiatênis

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.