Existe motivo para festa na Argentina?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Existe motivo para festa na Argentina?

João Fernando

11 de outubro de 2009 | 13h53

Diego Maradona, um dos melhores de todos os tempos, deve ter lembrado neste sábado dos tempos em que desfilava seu talento pelos campos de futebol do planeta. Após o gol da vitória da Argentina sobre o Peru (2 a 1) em Buenos Aires, já nos acréscimos da partida, saiu correndo e deu um peixinho no gramado encharcado do Estádio Monumental de Nuñez.

Mas, pelo menos por enquanto, o treinador tem poucos motivos para festejar. A atuação da seleção argentina diante do fraquíssimo futebol peruano foi pífia. Era fácil penetrar na defesa adversária e mesmo assim os atacantes argentinos, destaques de fortes equipes da Europa, tiveram muita dificuldade para balançar as redes.

Além disso, a Argentina mostrou demasiado nervosismo e medo no segundo tempo. Após finalmente abrir o marcador, Maradona começou a fechar a equipe e ‘chamou’ o Peru para o ataque. O gol de empate certamente teria vindo antes tivessem os peruanos um pouco mais de qualidade com a bola nos pés.

A chuva torrencial que caiu em Buenos Aires e o gol de Palermo (impedido) no último respiro do jogo deram um tom épico para a vitória argentina. Mas vale lembrar que o lanterna Peru perdeu todas as nove partidas que fez fora de casa nas Eliminatórias.

Por isso, pelo menos por enquanto, não é hora de alegria para os ‘hermanos’. Se perderem para o Uruguai na quarta-feira em Montevidéu (resultado perfeitamente possível, principalmente no atual momento das duas seleções) e o Equador ganhar do classificado Chile em Santiago, estarão fora da Copa do Mundo, algo que não acontece desde 1970. Aí a vitória ‘épica’ irá, definitivamente, por água abaixo…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: