As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Greve na Argentina aumenta tensão para final da Libertadores

Estadão Esportes

27 de junho de 2012 | 11h22

Por Raphael Ramos e Fábio Hecico, enviados a Buenos Aires

Buenos Aires vai parar nesta quarta. Mas não será por causa do primeiro jogo da final da Libertadores entre Boca Juniors e Corinthians, a partir das 21h50, no Estádio La Bombonera. Lideradas pelos caminhoneiros, várias categorias farão um grande ato contra a presidente Cristina Kirchner na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino. São esperadas aproximadamente 150 mil pessoas. As principais queixas dos manifestantes são contra os valores do imposto de renda e do auxílio família.

Os primeiros manifestantes começaram a chegar por volta das 7h no Praça de Maio. Com seus caminhões, interditaram parte da avenida 9 de julho, a principal da capital argentina, e outras vias importantes de acesso ao centro. Há um clima de tensão na cidade e milhares de policiais fazem a vigilância do ato para evitar tumultos.

A paralisação afetou a coleta de lixo e a distribuição de combustível, alimentos e outros materiais. O jornal La Nacion, um dos principais do país, por exemplo, teve a sua distribuição prejudicada e, por isso, disponibilizou excepcionalmente hoje na internet todo o o conteúdo da sua edição impressa. A previsão é que alguns voos da companhias Aerolíneas Argentinas e Lan possam ser cancelados.

O hotel onde o Corinthians está hospedado fica próximo à Praça de Maio e algumas ruas no entorno já foram interditadas. Como os discursos dos dirigentes sindicais no palco montado em frente à Casa Rosada acontecerão depois das 15h (horário em quem haverá maior concentração de manifestantes no local), há temor de que a delegação alvinegra enfrente dificuldades para chegar ao Estádio da La Bombonera. A previsão inicial é que o elenco deixe o hotel por volta das 19h30, mas o horário pode ser antecipado por causa do trânsito. A delegação do Boca deve enfrentar menos dificuldades para ir ao estádio porque está hospedada na região do Porto Madero, fora da zona de manifestações.

A orientação é que os torcedores também antecipem a ida à La Bombonera porque não há estações de metrô nas proximidades do estádio e as principais ruas do centro estarão fechadas. Os portões abrem a partir das 19h.

Tudo o que sabemos sobre:

Corinthians; Copa LIbertadores

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.