As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Joelhos: o show tem de continuar

Luiz Zanin Oricchio

06 de março de 2007 | 16h38

Com a segunda contusão de Nilmar – agora no outro joelho – abriu-se o debate: por que os jogadores estão se machucando tanto? Primeiro: será que estão mesmo se machucando mais do que no passado? Parece que sim, dizem os médicos. Segundo, todo mundo diz, há muito tempo, que o calendário está sobrecarregado, aqui, na Europa, no mundo todo. Jogador não tem tempo para treinar adequadamente, para descansar, para se recuperar do cansaço das partidas. Acho que nunca se jogou tanto futebol no planeta. Basta ligar a TV, se você for assinante dos canais pagos: tem futebol de noite, de dia, de madrugada, na hora do almoço e do jantar. Uma overdose. Nunca o futebol movimentou tanto dinheiro. Nunca os jogadores ganharam tanto. E nunca ganharam tanto aqueles que organizam o espetáculo. Então é assim: o jogador, que custa caro, tem de ser espremido até o bagaço para dar retorno ao dinheiro que custa. Assim funciona o capitalismo da bola. E os joelhos que se danem. O negócio é faturar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.