As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Léo Lima ataca de guarda de trânsito

Marcio Claesen

01 de março de 2007 | 16h33

Depois de Léo Lima alegar que não vivia mais na boêmia ao ser apresentado oficialmente no Flamengo, os comentários Pedro Ernesto Denardin e José Alberto Andrade, da Rádio Gaúcha, revelaram na madrugada desta quinta-feira o que seria o verdadeiro motivo da dispensa do meia-atacante no Grêmio.

Numa conversa descontraída após a vitória do Inter na Libertadores da América, Denardin, que é um dos principais locutores da rádio, disse que conversou com Paulo Pelaipe, diretor de Futebol gremista, dias após o jogador ser afastado. De acordo com o dirigente, o jogador “tomou um foguete” (ficou embriagado) durante a pré-temporada do clube em Bento Gonçalves-RS e foi para uma esquina próxima do Hotel Dall’Onder, onde o time estava hospedado, somente de calção para ‘brincar’ de guarda de trânsito.

A brincadeira teria sido então a gota d’água para o término da passagem de Léo Lima no Estádio Olímpico. No início do ano, o jogador de 25 anos foi expulso de um treino depois de dar uma entrada violenta no volante Edmilson e discutir com alguns companheiros e com o treinador Mano Menezes.

Somado a isso, o atleta, que já teve passagens pelo Vasco e Santos, também não conseguiu recuperar a forma física ideal para jogar nesta temporada – ele só disputou duas partidas no ano (sem começar como titular). Apesar de declarar que está pronto para estrear no Flamengo, médicos da equipe da Gávea revelaram que o atleta ainda está cinco quilos acima do peso.

Ouça a conversa da equipe da Rádio Gaúcha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.