Mas ele não tem razão?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mas ele não tem razão?

andreavelar

15 de setembro de 2010 | 13h28

Jonne Roriz/AE - 6/6/2006

Jonne Roriz/AE - 6/6/2006

Ainda que sem se dar conta, o próprio Ronaldinho Gaúcho abriu a polêmica: “Nenhum outro brasileiro foi melhor do que eu na Europa”, disse o meia-atacante, que hoje joga no Milan, ao jornal L´Equipe. Fora de contexto, a frase ganha ares de soberba ou prepotência. Não se trata disso. O craque falava exclusivamente do período às vésperas da Copa 2010. Mas, ainda assim, ele não tem razão?

Ronaldinho Gaúcho, apenas Dinho para os europeus, deixou o Grêmio em 2001 para atuar no incerto Paris Saint Germain. Em apenas dois anos de dribles espetaculares e passes certeiros chamou a atenção do Barcelona. Por lá, entre outros títulos e mais espetáculo, foi bicampeão espanhol (2004/05 e 2005/06) e campeão da Liga dos Campeões (2005/06) – sem falar nos dois títulos de Melhor do Mundo (2004 e 2005), entregue pela Fifa.

Que outro jogador brasileiro conseguiu tanto. Lá no começo, Evaristo de Macedo conseguiu a façanha de brilhar com as camisas de Barcelona e Real Madrid. Com um salto no tempo, Edmundo encantou a Itália, mas se deixou levar pelo carnaval de 1999. Romário, Rivaldo e Ronaldo também marcaram época em Barcelona. Melhores que Ronaldinho Gaúcho? Difícil falar.

O problema é que no Milan fez uma força tremenda para jogar fora todo esse passado brilhante. Não raro foi notícia por seu comportamento fora dos campos. Não ganhou nada, também não perdeu o respeito dos adversários. Ele parece mesmo ter razão.

Veja também:

# Ronaldinho diz que merecia Copa 2010 e quer jogar até os 40

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.