Montanha-Russa dos treinadores no Brasileirão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Montanha-Russa dos treinadores no Brasileirão

André Rigue

21 de setembro de 2009 | 20h31

luxa

Quando levou o Santos ao título brasileiro, em 2002, Emerson Leão era considerado técnico top do futebol. Mas parou no tempo e tem colecionado fracassos nos últimos anos – isso sem falar que em seu retorno à Vila Belmiro saiu em situação complicada, sofrendo até agressões de torcedores.

Quem parece seguir o mesmo caminho de Leão é Vanderlei Luxemburgo. De incontestável, o treinador tem colecionado críticas pelos últimos clubes. Foi demitido pelo Palmeiras, e no Santos não conseguiu engrenar – já fez até críticas ao elenco santista, afirmando que “não tinha culpa em sua formação.”

Luxemburgo gosta de dizer que “o futebol evolui”. E realmente está certo. O problema é que ele parece não ter acompanhado o ritmo dos últimos anos. Tem reclamado bastante, muitas vezes desnecessariamente – e Luxemburgo, de fato, sempre se enrola quando não se concentra apenas na tática.

Por outro lado, Muricy Ramalho tenta mostrar que continua no topo do futebol brasileiro. Depois de ganhar os últimos três títulos do Brasileirão pelo São Paulo, ele pode se consagrar com mais um, agora pelo Palmeiras.

Mas a vida de Muricy não está fácil. O Palmeiras ainda encontra dificuldades para adotar seu estilo, que privilegia um futebol de mais marcação.

Mano Menezes, no Corinthians, está em situação tranquila. Já garantido na Libertadores, ele tenta agora montar um bom elenco para conseguir sucesso no ano do centenário – cobrança mesmo, Mano vai sentir quando entrar em campo na competição continental no próximo ano.

Tite mantém o Inter no G-4, mas também é contestado. Celso Roth surpreende com a boa campanha no Atlético-MG, da mesma forma como Hélio dos Anjos no Goiás.

E na parte inferior da tabela, o Fluminense conta com Cuca… Difícil escapar da Série B…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.