As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O casuísmo da Conmebol

Luiz Zanin Oricchio

01 de fevereiro de 2007 | 13h59

Quer dizer que agora dois times do mesmo país não podem disputar o título da Libertadores? Esse é o último, quer dizer, o mais recente casuísmo da Conmebol, certamente preocupada com o domínio brasileiro no torneio. As duas últimas decisões (São Paulo x Atlético-PR e Internacional x São Paulo) foram brasileiras. Mas e daí? Os outros países que melhorem e se estabeleçam. Afinal, o critério para escolher um campeão deve ser técnico ou político? A Libertadores da América, para mim, é o torneio mais empolgante do mundo a começar por seu nome que não tem paralelo em lugar nenhum. Agora, a Conmebol parece fazer de tudo para desfigurá-lo. Já o inchou, colocando times sem a menor condição técnica. Deu um drible na geografia trazendo o México para a América do Sul. E agora inventa esse casuísmo com o torneio em andamento. Por quê? Bem, atrás de cada absurdo existe sempre uma razão comercial. Siga o dinheiro e terá a resposta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.