As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Grêmio balança

André Rigue

24 de agosto de 2008 | 20h40

A briga pelo título do Campeonato Brasileiro voltou a ficar embolada. O Grêmio, depois de perder para o Flamengo no meio da semana, empatou com o Náutico nos Aflitos por 1 a 1, ficando com cinco pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o Palmeiras (45 a 40).

O tricolor gaúcho não oferece ao técnico Celso Roth um banco de reservas com muitas opções. Mas o time titular tem garra e um esquema defensivo difícil de ser ultrapassado – não é por acaso que tem a melhor defesa do Brasileirão, com apenas 15 gols sofridos.

Já o Palmeiras, que não teve problemas para fazer 4 a 2 na Lusa, possui o melhor ataque do Brasileirão ao lado do São Paulo e do próprio Grêmio, todos com 38 gols. O time de Palestra Itália, agora, tem a missão de ganhar fora de casa, o que só aconteceu em duas oportunidades em 11 jogos.

Na terceira posição, com 39 pontos, o Cruzeiro demonstra muita irregularidade. Levou 2 a 0 do Santos, com um futebol que deixa dúvidas quanto à manutenção do clube no G-4 nas próximas rodadas. Da forma que está, o time mineiro deve ser ultrapassado brevemente.

O Botafogo, por sua vez, apresenta uma seqüência de bons resultados impressionante. Sob orientação de Ney Franco, o time estabilizou o sistema defensivo (é a segunda defesa menos vazada, com 20) e tem um ataque que sempre deixa sua marca.

Resta saber se o Botafogo terá fôlego para manter o ritmo até o final. O segundo turno ainda está no começo e muitas equipes que estão num ritmo forte neste momento podem sofrer com o cansaço no final.

Outras equipes que brigam pelo título são: São Paulo (37 pontos), Vitória, Flamengo e Coritiba (todos com 36). Essas equipes, no entanto, precisam engatar uma série de vitórias parecida com a do Botafogo se quiserem levar o caneco.

O Brasileirão 2008 esta se mostrando o mais equilibrado desde que o sistema de pontos corridos passou a ser adotado. Hoje temos oito equipes com chances de levantar o caneco. Acredito que, nas últimas rodadas, pelo menos três delas continuarão na briga.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.