O incrível caso de Carlos Eugênio Simon
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O incrível caso de Carlos Eugênio Simon

miltonpazzi

28 de abril de 2009 | 09h52

O lance do pênalti com Edu Sales, do FortalezaÉ incrível e inacreditável. O pênalti no atacante Edu Sales marcado pelo árbitro Carlos Eugênio Simon no jogo Ceará x Fortaleza, final do Campeonato Cearense, é inaceitável.

Segundo o tira-teima da TV Globo, o atacante do time alvinegro estava a 3 metros (repito: três metros) e tropeçou no próprio pé, é evidente. Simon estava a 14 metros do lance (repito: 14 metros). Erros acontecem, mas o pior de tudo é ele dizer que o pênalti aconteceu.

Por que não admite que errou? Não há o que falar. Não vou nem entrar no mérito do uso da tecnologia no jogo (que parece ser a cada dia mais necessária). É lamentável que ele seja um dos nossos candidatos a ir a uma Copa do Mundo.

É evidente: precisa-se de renovação e trabalho na arbitragem. Não é a primeira e nem será a última do Simon e de muitos outros. Tem de usar o que torna as decisões justas. O árbitro é soberano, e tem de continuar assim. Mas não pode decidir sozinho. E nem brigar com a tecnologia. É clichê, mas vale: abram os olhos!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.