As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Paradinha: vale ou não vale?

André Rigue

23 de outubro de 2008 | 01h21

A polêmica da rodada deste meio de semana da Copa Sul-Americana foi a cobrança de pênalti do meia Diego Souza, do Palmeiras, na partida contra o Argentinos Juniors pelas quartas-de-final. O jogador cobrou a infração com a paradinha, tão famosa entre os jogadores brasileiros. O árbitro colombiano José Buitrago anulou o lance e ainda deu amarelo para o palmeirense.

Na segunda cobrança, Diego Souza bateu sem paradinha, e o goleiro Torrico, bem adiantado, defendeu. Os jogadores do Palmeiras e o técnico Vanderlei Luxemburgo reclamaram.

Nos vestiários (e depois de uma briga entre os jogadores ao final do jogo), o técnico Luxemburgo detonou o colombiano. “Ele causou tudo isso. Só na regra da Colômbia que a paradinha não vale. O Palmeiras foi prejudicado.”

A Fifa não estabelece normas para a cobrança de pênaltis com paradinha. Os árbitros, no Campeonato Brasileiro, deixam os jogadores utilizarem esse artifício sem maiores problemas.

Então o colombiano José Buitrago errou ao anular o lance de Diego Souza? Na minha visão, jogador palmeirense não fez nada que está “fora da regra” e foi prejudicado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.