As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por favor, faz silêncio que eu estou vendo o jogo…

Luiz Zanin Oricchio

09 de junho de 2006 | 21h12

Início da partida, gritaria dos torcedores. Um minuto depois, nem parecia que estava rolando um jogo de Copa do Mundo. A maior parte das mais de duzentas mil pessoas que se juntaram no Portão de Brandemburgo, em Berlim, parecia ter ensaiado os momentos certos em que podiam se manifestar: no início e fim dos tempos e nos gols. Além disso, em períodos em que os brasileiros xingariam os jogadores, o juiz e quem estivesse do lado, os alemães davam a impressão de estarem assistindo a um documentário sobre como se extrai lã no sul da Índia.
Bebiam muita cerveja e pela barulheira que fizeram antes do início do jogo, pensei no que fariam assim que a bola rolasse. Mas só cantaram antes, no intervalo e depois da partida. Durante, ou se fixavam no documentário sobre a extração de lã ou passeavam.
Detalhe: vários saíram antes de o jogo terminar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.