As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Que Ronaldinho não seja o Ronaldo

André Rigue

15 de julho de 2008 | 20h34

A grande pergunta que fica na transferência de Ronaldinho Gaúcho para o Milan é a seguinte: o jogador conseguirá recuperar o futebol dos velhos tempos de Barcelona?

Pelo empenho demonstrado para defender o Brasil nos Jogos de Pequim, Ronaldinho tem tudo para chegar ao Milan em bom estado físico, em agosto. Em Milão, terá ao seu lado amigos brasileiros de grande capacidade técnica: Alexandre Pato e Kaká.

Se não cair ‘nas noitadas’, como na Espanha, e se empenhar com a camisa do Milan, Ronaldinho tem tudo para fazer uma trajetória de sucesso em seus três anos de contrato.

Agora, que Ronaldinho Gaúcho não siga o exemplo de Ronaldo. Após deixar o Real Madrid, o Fenômeno prometeu voltar a ser ‘Fenômeno’. No entanto, ele pouco conseguiu demonstrar com a camisa do Milan – atualmente, sem contrato e machucado, Ronaldo parece ainda menos preocupado com o físico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.