As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Querem que os corintianos esqueçam a Série B

miltonpazzi

15 de fevereiro de 2008 | 15h50

As atitudes de marketing da diretoria do Corinthians nos últimos meses, desde que Andrés Sanchez assumiu a presidência, são louváveis pelo fato de tirar o clube da mesmice que imperava. Porém, entre os lançamentos de kits, novas camisas, novos patrocínios e quase 15 reforços, há a sensação de que estão querendo que todos esqueçam o principal: o time vai disputar a Série B do Campeonato Brasileiro.

Até em novo estádio foi falado nos últimos dias – e o presidente já recuou um pouco. Como pode se falar nisso quando o time irá passar pelo pior momento de sua história, que é disputar um torneio de nível inferior? Como podem falar tanto de dinheiro, milhões de dólares, e o nível técnico do atual time ainda é questionável – vide, principalmente, meio e ataque? E as dívidas de quase R$ 100 milhões, onde estão? Foram pagas?

A impressão que passa é que a política do clube, embriagada pelo ar que entra pela janela com a saída de Alberto Dualib e Nesi Cury, está afobada. E que ainda não caiu a ficha de que o Brasileirão deste ano, para o time, será a Série B. Parece que já é favas contadas o acesso.

O temor dos corintianos conscientes é que a ficha só vai cair quando a Segundona já tiver começado. E aí vai ser duro. Afinal, a mesma camisa que pode ajudar a subir, também pode ajudar a afundar como uma bigorna.

Você acredita que o estádio vá sair? Clique aqui e vote.

Política do marketing II
Outro time precuopado com política é o São Paulo, que vai eleger presidente em abril. Juvenal Juvêncio é favorito disparado, e a oposição resolveu lançar Aurélio Miguel como candidato. Uma atitude só para não queimar ex-presidentes como Carlos Miguel Aidar, José Eduardo Mesquita Pimenta, Fernando Casal de Rey e etc. Porque, votos mesmo, daqueles que influenciem, não acredito que o ex-judoca vá agregar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.