As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sem dieta: atletas se esbaldam com Mc Donalds grátis no Rio

Estadão Esportes

15 de agosto de 2016 | 10h49

Um ciclo olímpico de quatro anos de preparação demanda vários tipos de esforços por parte dos atletas, e não só durante as disputas esportivas. Para se manter no melhor nível físico possível, a maioria deles passa boa parte do tempo controlando o lazer, o sono e principalmente a alimentação, com dietas regradas e com comidas saudáveis. Coisa que não tem acontecido na olimpíada do Rio.

Todos os atletas e técnicos da Vila Olímpica foram contemplados com uma lanchonete da rede de fast-food McDonalds. Eles podem consumir lanches grátis em qualquer momento do dia, e por quantas vezes quiserem. E têm feito isso em excesso. Inclusive, muitos preferem sair da dieta a provar a culinária local nos estabelecimentos mais próximos, uma cafeteria e um restaurante de comida brasileira, em um levantamento feito pelo portal Washington Post.

“Normalmente, a comida na cafeteria não é boa”, afirmou Idalis Ortiz, judoca cubana. “E é assim na maioria das arenas esportivas. Então o mundo todo vem aqui para ter comida americana. É o McDonalds”, contou.

A jogadora de rúgbi Jessica Javelet, da seleção dos Estados Unidos, reforça a tese. Ela tentou se alimentar na cafeteria citada e teve problemas com o idioma e a quantidade de pessoas presentes no local. “Se você for em momentos mais lotados, será uma das experiências mais malucas que você vai ver”, afirmou.

Um funcionário da rede de fast-food afirma que a equipe anda tendo muito trabalho para servir os atletas estrangeiros. “O time de basquete masculino da China vem aqui o dia todo, todos os dias”, revelou. O nadador Brandon Schuster, de Samoa Americana, confirmou o apelo da lanchonete ao esperar a sua vez em uma fila de 53 pessoas. “Nós somos ridículos. Está chovendo e mesmo assim estamos na fila”, brincou.

Pensamento oposto tem Jimmy Monien, técnico de levantamento de peso da seleção da Mauritânia, preocupado com a alimentação de esportistas de uma forma geral. “Não acho que Usain Bolt viria aqui para comer na rede de lanchonete”, sentenciou.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time “Estadão Rio 2016” e convide seus amigos para participar também!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.