TEMPO REAL – Acompanhe o jogo do Corinthians direto da quadra da Gaviões da Fiel
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

TEMPO REAL – Acompanhe o jogo do Corinthians direto da quadra da Gaviões da Fiel

Estadão Esportes

27 de fevereiro de 2013 | 21h38

Punido pela Conmebol, o Corinthians enfrenta o Millonarios pela Copa Libertadores com os portões fechados para a torcida. Dessa forma, muitos corintianos vão até a quadra da Gaviões da Fiel para acompanhar todos os lances da disputa.

O repórter Gonçalo Júnior informa todos os detalhes do que está acontecendo por lá.

23h50 – Apesar dos incidentes na semana passada, com a morte do torcedor Kevin Beltrán atingido por um disparo de sinalizador na Bolívia, os torcedores levaram sinalizadores para a comemoração na quadra da escola. Os modelos, no entanto, eram diferentes do sinalizador naval que causou a tragédia, mas são proibidos nos estádios brasileiros.

Foto: JF Diorio/Estadão

23h43 – O número de 600 torcedores que compareceu à quadra da Gaviões, na estimativa dos organizadores, ficou dentro das expectativas dos diretores. Eles consideram que a semana difícil – morte do torcedor boliviano, punição da Conmebol e indefinição da presença do público – impediram uma mobilização maior. A galera gostou. “Jogo do Corinthians é bom em qualquer lugar”, diz a secretária Eliane Lima. 

23h33 – Da mesma forma que o Corinthians não sentiu os efeitos de jogar sem sua fiel torcida – fez um gol no primeiro tempo e outro no segundo, com tranquilidade -, os corintianos da sede da escola esqueceram o fato de o time estar distante apenas dez quilômetros, no Pacaembu. “É o mesmo clima dos jogos da Libertadores do ano passado, quando o time estava jogando fora do País e a gente torcia de longe”, compara o auxiliar de produção Luis Eduardo de Sousa.

23h15 -A principal preocupação dos torcedores no final do primeiro tempo foi com a vantagem mínima, de apenas 1 a 0. No momento em que o auxiliar administrativo reclamava da demora para que o segundo gol saísse, Pato ampliou.

22h56 – O intervalo do jogo é o momento da dispersão do torcedor, a quadra fica totalmente vazia e a torcida ocupa as ruas próximas da quadra. De acordo com os vendedores ambulantes, são vendidas entre 30 a 40 cervejas em 15 minutos.

22h50 – No final do primeiro tempo, torcedores transformaram a quadra em arquibancadas no sentido literal, improvisando coreografias. Conseguiram fazer com que todos se sentissem no estádio.

22h30 – Os diretores da Gaviões da Fiel decidiram fazer o evento exclusivamente para acompanhar a partida. A torcida organizada do Corinthians recomendou que não fossem cantados músicas ofensivas a Conmebol, com medo de novas retaliações ao clube na Copa Libertadores.

22h13 – O jogo entre Corinthians e Millonarios se transformou em pano de fundo para as manifestações de amor ao clube pela torcida. Os cantos encobriam totalmente a narração do jogo e a torcida estava mais preocupada em fazer a sua própria festa, independentemente da própria partida. “Todos os jogos no estádio ou fora dele, a torcida é um show a parte”, diz o arquiteto José Ramos Pereira.

Foto: José Patrício/Estadão

 

22h – As reclamações dos torcedores contra a punição da Conmebol só duraram até o momento em que a bateria da escola de samba começou a tocar. Mesmo em número reduzido, cerca de 500 torcedores, os corintianos fizeram uma festa comparada a dos grandes jogos do time. Entoando os gritos tradicionais de apoio ao clube, a torcida deixa de lado o luto pela morte do torcedor boliviano.

Foto: José Patrício/Estadão

21h45 – A torcedora Ariane Ribeiro trouxe o filho Raphael Ribeiro para assistir ao jogo na quadra da Gaviões dando continuidade a um costume familiar. Ela disse que, embora o time vá jogar no Pacaembu, a energia da torcida na sede da Gaviões vai ser transmitida para lá. E acredita que o time não vai sentir a falta de público. Apesar do entusiasmo da torcida, o número de torcedores continua baixo.

José Patrício/Estadão

21h30 – Cerca de 300 corintianos já estão na sede da Gaviões da Fiel. De acordo com a direção da organizada, o número de torcedores é inferior ao imaginado. Os diretores apontam que o fato de o jogo começar às 22 horas em uma quarta-feira é um dos motivos pelo baixo público. Mas eles acreditam que a ausência se deve à torcida ainda estar muito abalada com a morte de Kevin Espada, o jovem de 14 anos morto na Bolívia. Os corintianos estão na sede da Gaviões, mas não há clima festivo. Todos estão reunidos, mas não é a mesma festa dos jogos anteriores.

Tudo o que sabemos sobre:

CorinthiansfutebolGaviões da Fiel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.