Confira todos os detalhes do pré-jogo entre Corinthians e Millonarios pela Libertadores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Confira todos os detalhes do pré-jogo entre Corinthians e Millonarios pela Libertadores

Estadão Esportes

27 de fevereiro de 2013 | 17h08

O primeiro jogo em casa do atual campeão na Libertadores será disputado num anticlímax. Punido pela Conmebol, o Corinthians jogará com portões fechados diante do colombiano Millonarios, nesta quarta-feira, a partir das 22 horas, no Pacaembu.

O repórter Paulo Favero e Vitor Marques acompanham todos os detalhes que antecedem a partida.

21h50 – Obrigado por acompanhar com a gente o pré-jogo do Corinthians, no Pacaembu, e leia agora as informações direto da quadra da Gaviões da Fiel.

21h45 –Com o apoio da Polícia, os quatro torcedores finalmente conseguem entrar no Pacaembu, e aguardam o início do jogo. 

21h40 – Os torcedores estão indignados por não conseguirem entrar no Pacaembu. “Vivemos num país democrático. Os advogados do Corinthians não querem que a gente entre, por ser uma ordem da Conmebol. Eu até entendo a posição deles, mas resolvi procurar meu direito em assistir ao jogo”, disse Milton, um dos torcedores.

21h33 – O Corinthians insiste em não deixar os quatro torcedores (os outros dois não foram com o grupo) entrarem no estádio, mas eles garantem que têm o aval da Polícia para assistir ao jogo do Pacaembu. “Eu não questiono a punição, mas é um direito do torcedor (entrar), disse Armando Mendonça, advogado e um dos torcedores que tentam a entrada.

21h03 – Os cinco torcedores estão na ouvidoria do Pacaembu, conversando com o advogado e o diretor jurídico do Corinthians. Ele chegaram com a liminar em mãos, mas não sabem se poderão acompanhar a partida.

20h55 -Os cinco torcedores com a liminar chegaram na portão 23 do Estádio do Pacaembu, mas não sabem como entrar e não temem prejudicar o clube. “Sou torcedor, sou consumidor e quero fazer direito! Comprei meu ingresso há dois meses!”, diz Armando Mendonça, que mostrou os ingressos impressos adquiridos pelo plano de sócio torcedor do clube.

Os cinco estão sendo pressionados pelo clube para não entrar no Pacaembu. Segundo apurou o Estado, eles receberam telefonemas de dirigentes do Corinthians, que temem uma nova punição, para não entrar no estádio.

20h53 – Instrumentos de bateria acabam de chegar ao estádio, e os torcedores que decidiram ficar na na Praça Charles Miller, fazem festa.

Foto: Jonne Roriz/Estadão

20h44 – Horas antes da partida, o policiamento coibiu qualquer tipo de vendedores ambulantes no entorno do Pacaembu. “Não queríamos que tivesse qualquer coisa que atraísse o torcedor para o estádio”, disse o Tenente Razuk. Sem ter o que comer e beber, muita gente preferiu ir para os bares dentro do bairro.

 

20h37 – Neste momento chega o ônibus do Corinthians. Direção, comissão técnica e jogadores descem ao vestiário número 1 do Pacaembu.  Com o ocorrido, a chegada parece de um jogo comum, sem torcida, sem aquele clima de Libertadores. – Informações do repórter Vitor Marques.

20h20 – Cerca de 50 torcedores estão ao redor do Pacaembu e estão aproveitando a presença da imprensa e de programas de televisão para chamar atenção. A polícia acompanha tudo de longe e não demonstra preocupação.

19h57 – TORCEDORES ENTRARÃO NO ESTÁDIO

Segundo o Tenente Razuk, da Polícia Militar, os seis torcedores que conseguiram uma liminar, como antecipou o Estado, entrarão no Pacaembu. “Estou com a liminar em minhas mãos para seis torcedores e eles vão entrar. Não sei em qual setor, isso cabe ao Corinthians, mas tenho que cumprir a autorização judicial”, declarou o tenente.

Quando perguntado se na próxima partida aparecessem 30 mil torcedores com uma liminar, Razuk foi claro: “Se isso acontecer, faremos o procedimento normal e abriremos os portões. Vamos permitir a entrada, mas o Corinthians que indicará o local de acordo com o ingresso”, disse Razuk.

“A polícia não pode tirar o direito de ir e vir do cidadão, mas estamos aqui atentos para qualquer quebra da ordem pública”, comentou o tenente sobre uma possível aglomeração ao redor do Pacaembu. Ele ainda confirmou que houve uma reunião com as torcidas organizadas e ficou combinado que elas ficariam em suas sedes.

Foto: Alex Silva

19h33 – Muita polícia para pouca torcida. Quatro caminhões chegam com cavalos da Polícia Militar. Até agora o policiamento é desproporcional para os torcedores presentes na região do Pacaembu.

Foto: Paulo Favero/Estadão


19h15 – 
Torcida do Millonarios já está presente. Cerca de 20 torcedores da equipe estão no Pacaembu na expectativa de poder apoiar o time durante a partida. Os amigos Oscar, Sebastian, Miguel e Ismael saíram da Colômbia no dia 10 de janeiro e chegaram apenas ontem no Brasil. Por falta de dinheiro, escolheram a opção mais econômica que existe: carona. “Somos um grupo de 20 pessoas e percorremos a América do Sul para acompanhar o Millonarios. Não temos ingresso e nem sabíamos que não poderia ter torcida. Depois daqui vamos para Oruru, também de carona com caminhoneiros”, disse Sebastian. “Costumamos ser bem recebidos nos lugares, mas a falta de dinheiro é um problema. Aproveitamos para vender artesanato e tentar levantar algum dinheiro para comer”, finalizou Miguel.

Foto: JF Diorio/Estadão

19h05 – Sara Baum e seu cachorro Alladin conseguiram se divertir na Praça Charles Miller por causa da ausência de torcida. “Vai ter jogo hoje?”, questiona a moça. Ela explica que aproveitou a situação para brincar com seu cachorro.

Foto: JF Diorio/Estadão


19h10 – A Polícia Militar acaba de chegar no Pacaembu,  com dois ônibus comuns, dois da Tropa de Choque e mais seis viaturas. Os policiais fizeram um segundo cercamento de grades para evitar a aproximação de pessoas. Alguns torcedores já estão presentes na região, mas preferem ficar distantes da entrada, para não chamar muita atenção.

Foto: JF Diorio/Estadão


19h – As amigas Clarisse e Cida, mesmo com a proibição da presença de torcida, fizeram o que sempre fazem em todos os jogos do Corinthians: vieram ao Pacaembu, mesmo sem ter ingressos para acompanhar a partida. “Viemos de Guarulhos e acho que vai ter bastante gente aqui na praça”, disse Clarisse. Cida concordou:  “Vai ter muita torcida aqui fora. Se não, não é Corinthians!”

18h50 – Manoel Messias, morador de guaianases, comprou ingressos com antecedência e também se frustou. Porém, o torcedor garantiu que ficará na porta do estadio até o apito final. “Não quero nem saber de devolução de dinheiro, só vou embora quando o jogo acabar. Quero que me deixem ficar aqui pacificamente. Faço parte de um sub-sede da Gaviões da Fiel e muita gente disse que virá para cá. Vamos apoiar o Corinthians aqui de fora”, terminou Manoel.

Foto: Paulo Favero/Estadão

 

18h40 – Jorge Souza mora em São Francisco, na Califórnia, tirou férias para vir para o Brasil e comprou todos os ingressos para acompanhar a primeira fase do Corinthians na Libertadores. A proibição de torcedores pegou o fanático torcedor de surpresa. “É revoltante, quero saber se vão reembolsar minha passagem aérea pra vir até aqui!”. O torcedor diz que deu uma volta pelo Estádio do Pacaembu e ficou muito triste com o vazio nas ruas. “Deu até vontade de chorar. Eu fui na final da Libertadores do ano passado, no jogo da Bombonera, no Mundial de Clubes e nunca vi isso com o Corinthians”, finalizou.

Foto: Paulo Favero/Estadão

18h30 – Está prevista a presença de 250 homens da Polícia Militar para a segurança do jogo.

Foto: Alex Silva/Estadão

18h20 – Tudo tranquilo para a CET. A Companhia de Engenharia de Tráfego já está presente nas ruas próximas ao Pacaembu e, pela ausência de torcida no jogo, a avaliação é que tudo será tranquilo e não ocorrerá grandes congestionamentos até o fim da partida.

 

18h10 –  Três meninos de rua, que aproveitam os dias de jogo para ganhar dinheiro com malabarismo no semáforo, estão perta do estádio com a camisa do Corinthians e reclamaram da fraca movimentação. Eles pediram para não serem identificados, mas disseram que já viram torcedores do Millonarios pelo bairro e que estão sentindo falta da quantidade maior de pessoas. “Em dia de jogo essa região fica bem diferente do que está agora”, disse um dos garotos.

 

Foto: Alex Silva/Estadão

 

 17h57 – Praça Charles Miller está cercada, o policiamento já está posicionado na entrada da praça para evitar a entrada de grupos com de pessoas com a camisa do Corinthians. Só é permitida a entrada de carros que vão trabalhar no evento e algumas pessoas, isoladamente, ainda conseguem entrar, mas apenas para caminhar ou andar de bicicleta.

 

Polícia na Praça Charles Miller / Foto: Alex Silva/Estadão

17h38 – Neste momento existe uma aparente tranquilidade nos arredores do Pacaembu. Praticamente não existe movimentação de torcedores. Até o trânsito, que costuma ser mais carregado no horário, está tranquilo para um dia de jogo do Corinthians.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.