Flamengo deveria ser pragmático

Flamengo deveria ser pragmático

Sobre o drama de Rueda

Marília Ruiz

27 Novembro 2017 | 16h11

O título da Sul-Americana não é exatamente o mais cobiçado do mundo. Muito menos para um time gigante como o Flamengo, que termina o ano “fervendo” por causa do desempenho frustrante na Copa do Brasil e no Brasileiro (isso sem contar o trauma na Libertadores no primeiro semestre) e da sequência de contusões de goleiros que devolveu a titularidade à Muralha.

O Flamengo ainda tem a chance de conseguir via Brasileiro uma vaga na fase de grupos da Libertadores-18 (depende do resultado do Grêmio na quarta). Uma derrota com César, que não joga uma partida oficial desde 2015, no gol na quinta em Barranquilla seria uma “estatística” na história gloriosa do clube. Já uma eliminação com Muralha só aumentaria a temperatura da crise no Flamengo. Muralha preciso de novos ares, e o Flamengo precisa de calma.