60 anos do 1º título de Eder Jofre. O que ele poderia ter feito para ser melhor? Andado sobre as águas

60 anos do 1º título de Eder Jofre. O que ele poderia ter feito para ser melhor? Andado sobre as águas

Em 18 de novembro de 1960 tinha início a lenda do "Galo de Ouro", o maior boxeador brasileiro da história e um dos maiores de todos os tempos

Wilson Baldini Jr.

18 de novembro de 2020 | 00h01

 

Começo minha homenagem a Eder Jofre pelos 60 anos da conquista do título mundial dos galos, diante do mexicano Eloy Sanchez, em Londres, no dia 18 de niovembrio de 1960, com uma citação feita pela revista The Ring quando se pronunciou sobre Sugar Ray Robison, que para muitos foi o maior pugilista de todos os tempos.

Passadas seis décadas do primeiro cinturão conquistado pelo Galo de Ouro, façamos uma pergunta: O que Eder Jofre poderia ter feito para ser melhor do que ele foi?

Alguns podem responder: ter chegado a 100 vitórias, 70 nocautes, conquistado mais títulos ou ter sido campeão em outra categorias, além dos pesos penas…

Eu prefiro dizer que para Eder ter sido melhor do que ele foi bastaria ter andado sobre as águas. Ou seja: não faltou nada na carreira do nosso maior campeão, lembrado até hoje por todos que conhecem boxe no mundo.

Parabéns, senhor Eder Jofre! Saúde! O boxe te agradece.

Confira a página de O Estado de S. Paulo no dia seguinte ao título mundial de Eder Jofre.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeEder JofreGalo de Ouro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.