A história de Emmanuel King! Primeiro capítulo

Guerra civil explode na Libéria e transforma a vida da família King em um inferno. Levado por uma prima para a França, o garoto, de 6 anos, sofre com o preconceito

Wilson Baldini Jr.

12 de julho de 2021 | 01h11

 

A família King deixou os Estados Unidos no final do século XVIII em direção à Libéria com a intenção de construir uma vida tranquila e livre na periferia da capital Monróvia. As oito pessoas se transformaram em um clã respeitado após mais de um século de muito trabalho, que proporcionou a compra de várias propriedades e a abertura de pontos de comércio importantes na região, causando inveja a muitas pessoas.

Em 1930, nasceu Emmanuel, quarta geração da família King. A criança veio prematura, pois sua mãe teve problemas durante a estação, vindo a falecer durante o parto. Seu pai, oficial do exército liberiano, pouco ficava em casa, o que fez com quem os avós maternos cuidassem do garoto.

O assassinato do presidente da república causou uma guerra civil, causando a morte de milhares de pessoas. Todas as propriedades da família foram destruídas ou tomadas pelo grupo que assumira o poder. Desesperados, os avós resolveram mandar uma das sobrinhas, Abidemi, imigrar para a França, em Grasse, uma pequena localidade de pouco mais de dez mil habitantes.

Com pouco dinheiro, Abidemi, ao desembarcar em Grasse, após 20 dias de viagem, logo procurou encontrar um emprego. Soube que na casa da família Gassion procurava-se alguém para ajudar na cozinha. Abidemi era muito boa tanto nos doces como com os salgados. Ao se apresentar, foi aprovada após um teste para se saber seu dotes culinários. O problema era Emmanuel, de apenas seis anos de idade.

Semana que vem o segundo capítulo.

Tudo o que sabemos sobre:

boxe

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.