Aos 88 anos, Bob Arum admite vender Top Rank. DAZN é um dos interessados na compra

Com início em 1973, empresa dirige a carreira de vários boxeadores como os brasileiros Esquiva Falcão e Robson Conceição

Wilson Baldini Jr.

20 de fevereiro de 2020 | 14h38

Boxing promoter Bob Arum speaks at a boxing press conference, Thursday, April 6, 2017, in Oxon Hill, Md. (AP Photo/Nick Wass)

 

A maior empresa de boxe do mundo pode trocar de dono. Na semana da luta entre os pesos pesados Tyson Fury e Deontay Wilder, em Las Vegas, uma notícia fez estremecer a nobre arte. Aos 88 anos, Bob Arum admitiu a venda da Top Rank, em entrevista ao site Business Insider.

O lendário empresário afirmou que já teve contato com pelo menos três grandes empresas, que estariam interessadas na compra. Seriam elas: DAZN, Nasdaq e Endeavor.

Muitos boxeadores importantes possuem contratos com a Top Rank. Terence Crawford, Tyson Fury, Vasyl Lomachenko e Naoya Inoue são alguns deles. Os brasileiros Robson Conceição e Esquiva Falcão também tem suas carreiras dirigidas por Bob Arum.

Recentemente, a Top Rank assinou contrato de sete anos para realizar eventos com a ESPN dos Estados Unidos. Sua sede em Las Vegas fica em um prédio imponente, com direito a uma sala à prova de fogo com 10 mil lutas digitalizadas.

Advogado formado em Harvard, o novaiorquino Bob Arum começou no boxe em 1965 e fundou a Top Rank em 1973. Trabalhou com Muhammad Ali, George Foreman, Sugar Ray Leonard, Floyd Mayweather, Oscar De La Hoya, Manny Pacquiao e centenas de outros pugilistas.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeTop RankBob Arum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: