Assim como Ferris Bueller, Mike Tyson curte a vida adoidado

Assim como Ferris Bueller, Mike Tyson curte a vida adoidado

O campeão mais jovem dos pesos pesados, apontado como o homem mais "durão" do planeta, é atualmente um dos personagens mais agradáveis do esporte

Wilson Baldini Jr.

04 de abril de 2019 | 21h03

 

Em 1986, Mike Tyson assombrava o mundo ao se sagrar o campeão mais jovem dos pesos pesados. Uma máquina de moer carne. Um dos homens mais temidos do planeta, que não fazia questão de ser amado pelas pessoas.

Durante sua carreira, intimidou seus adversários com encaradas que valiam como um soco, espancou seus rivais sem piedade e até mordeu duas vezes a orelha de Evander Holyfield.

Fora do ringue, o Iron Man também acumulou problemas e passou várias vezes pelos distritos policiais e até cumpriu pena de três anos de estupro da modelo Desireé Washington.

A vida deu seu contra-ataque e Tyson perdeu Exodus, sua filha de quatro anos, que morreu enforcada em um corda de uma esteira de exercícios, em 2009.

Muitos acreditavam que o trágico fato poderia causar uma depressão em Tyson e levá-lo precocemente à morte. Pelo contrário, Tyson mudou da água para o vinho, Casou com Lahika “Kiki” Spicer e cuida de três de seus sete filhos. Os menores.

Virou um paizão. Um brincalhão. Entrevistar Tyson é garantia de grandes frases e momentos inesquecíveis. Seu bom humor lhe garante seguidas participações em todos os tipos de mídia, além de contratos de publicidade. Tyson curte a vida adoidado assim como fez o personagem Ferris Bueller no filme “Curtindo a Vida Adoidado”, vivido pelo ator Matthew Broderick, também em 1986.

Vida longa ao eterno campeão!

Tudo o que sabemos sobre:

boxeMike Tyson

Tendências: