Beatriz Ferreira no boxe profissional seria muito importante para a nobre arte brasileira

Beatriz Ferreira no boxe profissional seria muito importante para a nobre arte brasileira

Vice-campeã olímpica em Tóquio ficou com a medalha de prata no Mundial da Turquia, nesta sexta-feira, ao perder a final para a representante dos EUA

Wilson Baldini Jr.

20 de maio de 2022 | 13h49

 

 

Beatriz Ferreira no boxe profissional seria muito importante para a nobre arte brasileira. Vice-campeã olímpica em Tóquio ficou com a medalha de prata no Mundial da Turquia, nesta sexta-feira, ao perder a final para a representante dos EUA.

Aos 29 anos, Bia planeja ficar no ciclo olímpico até 2024, em Paris, mas aí poderá ser muito tarde para iniciar uma carreira profissional. Com o seu imenso currículo no ‘amador’, conseguiria um contrato vultoso e bem superior aos US$ 5o mil ganhos com o segundo lugar no Mundial. Ela lutaria menos vezes e ganharia maior prestígio, além da possibilidade de enfrentar grandes desafios.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeBeatriz Ferreira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.